Algumas Mentiras sobre o Inferno

Publicado: 27/07/2009 por estevameduardo em Devocionais
Tags:, , ,

E ae galera, só na tranquilidade???

Depois de algum tempo volto aqui para falar com vocês. Fico muito feliz de ter participado de mais um CONADET. Quem não foi nem pode imaginar o que perdeu: realmente foi uma benção. Deus mais uma vez trabalhou no meio do seu povo.

Uma das pessoas que ele usou para falar comigo, e com toda a congregação, foi o Pastor Marcos Roberto, da Igreja Getsemani de BH. Ele é pastor de jovens e tem um chamado muito forte para missões. No seu site ele tem diversos textos que valem a pena serem lidos. Um deles é o que eu vou colar aqui abaixo:

link: http://www.getsemani.com.br/ – entre no Título “AmaDeus”

Algumas Mentiras Sobre o Inferno (I Parte)

As pessoas de hoje temem falar sobre o inferno. Há uma aura de medo, maldição, superstição e morte em torno deste assunto. Aliás, o único povo que prega abertamente sobre o inferno é o Evangélico. Sobre o inferno C. S. Lewis uma vez escreveu: “Não há nenhuma doutrina que eu removeria de mais bom grado do cristianismo do que esta, se eu tivesse o poder. Mas essa doutrina tem o pleno apoio das Escrituras, e sobretudo das próprias palavras do nosso Senhor”. Existe um tabu colocado pelo diabo quando falamos sobre esse assunto. Estamos tratando de uma escolha feita em vida sobre a eternidade e o plano do diabo é desacreditar a doutrina da justa retribuição, lançando mentiras sobre o inferno. Baseado nisso quero desmascarar alguns mitos que rondam essa doutrina. Algumas mentiras sobre o inferno.

I – O inferno não existe. Alan Kardec afirma: “O dogma da punição eterna é incompatível com o progresso da alma, criando uma barreira intransponível para a regeneração da mesma (Céu e Inferno, Ed. Lake – 1995, pág.63). Kardec coloca a realidade do inferno e do juízo eterno como incompatíveis com realidade, sendo uma doutrina contrária ao amor de Deus”. MENTIRA!! A Bíblia, que não é um livro de massagem de ego, deixa bem claro a existência do inferno:
• A palavra Geena também significa “lugar de queimar”. Ocorre 12 vezes no Novo Testamento e é a forma grega de “Vale de Hinon” que na antiguidade ficava a sudoeste de Jerusalém, onde crianças eram sacrificadas no fogo do deus Moloque (II Cr 28:3; 33:6) e foi, por essa razão, destruído pelo rei Josias a fim de acabar com esse costume pagão (II Re 23:20). Jeremias o chamou de Vale da Matança por causa dos cadáveres que em breve ali seriam amontoados pela arremetida Babilônica (Jr 7:32; 19:6). Mais tarde ele se tornou um “depósito de lixo” de Jerusalém, com um fogo que continuamente queimava consumindo seu entulho. O vale tornou-se uma metáfora para morte, corrupção e fogo inextinguível.
• Das doze vezes que Geena aparece no Novo Testamento, todas, exceto uma, vêm da boca do Senhor (Tg 3:6). É Jesus que em todo o Novo Testamento mostra a figura mais real do julgamento dos condenados, advertindo a todos os seus ouvintes severamente sobre tal destino (Mt 5:22,29; 10:28; 23:15,33; Marcos 9:45-48; Lucas 12:5). Ele mostra o inferno como uma fornalha de fogo eterno e um processo interminável de sofrimento (Mateus 25:41; Marcos 9:48). São trevas enchidas de um choro angustiante, um lugar de castigo eterno (Mateus 8:12; 25:46).

Vejam que os textos, tanto no Antigo, quanto no Novo testamento, falam claramente sobre o inferno:

• Dt.32:22 “Porque um fogo se acendeu na minha ira, e arderá até ao mais profundo do inferno, e consumirá a terra com a sua novidade, e abrasará os fundamentos dos montes”.
• Jó 26:6 “O inferno está nu perante ele, e não há coberta para a perdição”.
• Pv.27:20 “O inferno e a perdição nunca se fartam…”
• II Ts.1:6-9 “Deus fará o que é justo: ele trará sofrimento para aqueles que fazem com que vocês sofram (7) e dará descanso a vocês e também a nós, que sofremos. Ele fará isso quando o Senhor Jesus vier do céu e aparecer junto com os seus anjos poderosos, (8) no meio de chamas de fogo, para castigar os que rejeitam a Deus e não obedecem ao evangelho do nosso Senhor Jesus. (9) Eles serão castigados com a destruição eterna e ficarão longe da presença do Senhor e do seu glorioso poder”.
• II Pe.2:4 “Pois Deus não deixou escapar os anjos que pecaram, mas os jogou no inferno e os deixou presos com correntes na escuridão, esperando o Dia do Julgamento”.
• Ap.14:10b-11 “…e será atormentado com fogo e enxofre diante dos santos anjos e diante do Cordeiro. (11) E a fumaça do seu tormento sobe para todo o sempre; e não têm repouso, nem de dia nem de noite, os que adoram a besta e a sua imagem e aquele que receber o sinal do seu nome”.
• Mateus 5:22,29; 10:28; 23:15,33; 25:41-46 Marcos 9:45-48; Lucas 12:5; 16:22-23.

II – O inferno é aqui. Na letra da música “O Inferno É Aqui” do Barão Vermelho, é dito o seguinte: “Foi decretado estado de calamidade social / Agora já se paga os pecados com carnê mensal / O inferno é aqui e não adianta, nem tentar fugir / O preço que se paga é alto para existir / Na rua o povo todo traz na cara a insatisfação / Já não sorriem tolos miseráveis filhos da nação / O último a sair que apague a luz e desça da cruz com tempo pra fugir em direção a um futuro que não terá fim”. Essa é uma dos sofismas de satanás para encher o inferno. Fazer com que as pessoas acreditem que não há como ficar pior. MENTIRA!! Temos que entender as figuras de linguagem usadas na época.
• Assim como o Céu, o inferno é um lugar distinto. Isso é facilmente notado em Lc 16:19-31 na parábola do “Rico e Lázaro”. O homem rico, que tinha sido ganancioso e nunca tinha se arrependido de seu pecado, foi para o Hades (o mesmo que Geena) e experimentou tormento após a morte. Este homem estava consciente do tormento, a ponto de dizer “Estou atormentado nesta chama”.
• Jesus usou uma figura real, o Geena, para se referir ao inferno. Isto chamou a atenção dos seus ouvintes para este vale, que era literalmente o “depósito de lixo” de Jerusalém, com um fogo que continuamente queimava consumindo seu entulho e eles entenderam o terrível sofrimento que os ímpios experimentariam. Linguagem figurada é usada quando palavras comuns falham. A realidade do inferno será muito pior do que as figuras sugerem.
• O inferno é um lugar real de: Profundo Lamento. Sete vezes é dito que “haverá pranto e ranger de dentes” (Mt 8:12; 13:42, 50; 22:13; 24:51; 25:30; e Lc 13:28). O pranto significa um grito profundo numa dor terrível, que resulta num profundo lamento; Castigo. Na conclusão de uma parábola, Jesus falou do servo fiel como sendo recompensado, mas disse que o infiel como sendo “cortado pelo meio e separado num lugar com os hipócritas, onde haverá choro e ranger de dentes” (Mt 24:51); Separação. Mt 7:23 expressa uma das palavras mais chocantes da Bíblia. Tendo advertido dos falsos profetas que parecem bons exteriormente, mas cujos pecados no final das contas os separarão, Jesus se volta para o assunto dos falsos discípulos: “Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitos milagres? Então lhes direi claramente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade”.
• Deus como Criador tem dado propósito e sentido à vida, enquanto que a vida no inferno será eternamente sem sentido e inútil. Será uma terra cinzenta e desesperada, destituída de esperança e sonhos.

Pr. Marcos Roberto
Ministério AmaDeus

É isso ai galera, vocês podem encontrar a segunda parte no site do Pr. Marcos.

Abraço povo de Deus.

Estevam

Anúncios
comentários
  1. Duarte Henrique disse:

    E aí fraternidade, tudo bem? espero que sim.

    Esse é assunto muitíssimo interessante. Concordo com o pastor no que diz respeito a existência do inferno. Contudo, temos que ter cuidado, pois se de um lado muitas vezes procura-se negá-lo, por outro, muitas vezes acredita-se no inferno de forma equivocada. Muito de nossa visão sobre o inferno é influenciada por um materialismo contraditório! Por exemplo: Fala-se muito em queimar no inferno, mas o que vai para o inferno é o espírito, daí eu pergunto: espírito pega fogo? Outra coisa, fala-se muito a respeito da eternidade no inferno, mas esperem, que eu saiba a vida eterna é apenas para áqueles que forem alcançados pelo amor de Deus, ou estou enganado? Não estou afirmando aqui a doutrina do aniquilacionismo, mas sem dúvida, o modelo tradicional de inferno defendido por muitos cristãos tem ensinos no mínimo muito contraditórios… sem contar as fantasias etc. Não podemos pegar o que Jesus utilizou como exemplo e arrastar para a literalidade… muitos ensinos equivocados já surgiram por conta desse tipo de interpretação…
    Abraços!

  2. Thiago Neiva Fonseca disse:

    Um grande equívoco é pensar que crente salvo não pode ir ao inferno!!!!

  3. Cadu disse:

    P* q p* ein… vcs crentes saum todos uns ignorantes … vcs adoram falar q os outros mentem… e tudo pra vcs eh do capeta ¬¬’… p* q p*… sexo eh do capeta tbm?… se for assim todos nos estamos f****, pq nascemos de um pecado… toma tendencia ¬¬’

  4. Lucian disse:

    Nao cadu, sexo nao é do capeta… sexo fora do casamento é errado sim, isso nao somos nós crentes que dizemos, e sim a biblia…. agora, algumas coisas sao do capeta sim… pedofilia, tribunal da inquisicao, indulgencia, mentira, pregar o que nao esta na biblia, idolatria… e muitos outros, e tem gente que adora fazer isso nao é??? espero que tomem tendencia!!!

  5. A paz do Senhor!

    Não se trata de fazer terrorismo em torno desse assunto, entendo sua seriedade. Recentemente um professor de teologia na nossa igreja aventurou-se a dizer que almas não podem ser queimadas…

    Como existem Nicodemus até hoje!

    Não havia apenas um tipo de fogo no cenário Bíblico, mas que havia o fogo usado pelo homem, e também o fogo da parte de Deus, que tinha também aplicações diversas. Este fogo da parte de Deus é o mesmo que consumia os holocaustos, deixando clara a aceitação das ofertas. Foi o mesmo que consumiu Nadabe e Abiú quando ofereceram fogo estranho no altar, e foi o mesmo que consumiu as cidades de Sodoma e de Gomorra. Também foi este fogo que respondeu a Elias consumindo o holocausto diante dos profetas de Baal e de Asera.

    Então será que era realmente o fogo natural que Jesus falava ao tratar da questão do estado eterno dos perdidos? Será mesmo que era sobre o fogo natural que é produto de combustão de gases que Jesus falava quando dava as maiores descrições existentes na Bíblia a respeito do castigo eterno? Será mesmo que Aquele do qual a Bíblia diz que desceu às partes mais baixas da terra não sabia do que falava quando dava a descrição do local de punição para os perdidos no estado eterno depois do Julgamento Final?

    Por isso, diz: Quando ele subiu às alturas, levou cativo o cativeiro e concedeu dons aos homens. 9 Ora, que quer dizer subiu, senão que também havia descido até às regiões inferiores da terra? 10 Aquele que desceu é também o mesmo que subiu acima de todos os céus, para encher todas as coisas.(Efésios 4.8-10).

    19 no qual também foi e pregou aos espíritos em prisão, 20 os quais, noutro tempo, foram desobedientes quando a longanimidade de Deus aguardava nos dias de Noé, enquanto se preparava a arca, na qual poucos, a saber, oito pessoas, foram salvos, através da água,
    (1ª Pedro 3.19-20)

    Concordamos que realmente não devemos ser apressados em julgar que a expressão “Fogo do Inferno” usada por Jesus era realmente uma expressão literal, tratando-se do fogo natural conseguido a partir de combustão química já explicada acima.

    Mas por que exatamente não podemos interpretar a expressão Fogo do Inferno como uma expressão literal? Vemos acima que o fogo que o homem utiliza é produto de matérias físicas, portanto, um fogo natural. Sendo conhecido desde a antiguidade que a alma é de natureza imaterial e imortal, jamais poderia ser ela queimada pelo fogo natural, e neste sentido a expressao pode ser tomada como uma figura de linguagem. Ora, defender e afirmar que as almas dos perdidos serãoo queimadas por fogo natural é também ir contra a lógica do raciocínio humano, e isso mesmo em sua forma mais débil.
    Isto posto, fica claro que Jesus não falava de um fogo literal, um fogo natural, mas de um fogo da parte do próprio Deus para exercer o seu justo juízo. Semelhante ao fogo que da parte dele vinha sobre os holocaustos, sobre cidades sendo julgadas, e sobre pessoas que ofereciam fogo estranho. Existem várias ocorrências na Versão (ARC) Revista e Corrigida de Almeida para a expressão Fogo do Céu. Este é o fogo do qual Jesus fala para pintar a cena do Geena, conhecido como Vale de Hinnom, ou, o lixão de Israel, que ficava constantemente em combustão e cheio de vermes. O fato de Jesus ter usado símbolos naturais não torna inverdade suas afirmações espirituais. Podemos entender que haverá sim fogo da parte de Deus, sobre os perdidos e o seu tormento será na verdade maior do que pode ser expressado na frase.: onde o fogo nunca se apaga e não lhes morre o verme.

    Este também é fogo que aparece em Mt 13.42; 18:8-9; 25:41 e Mc 9.43, 45 e 47, como o oposto do Reino de Deus e da vida. O Inferno de fogo, em Mc 9.48 relembra Is 66.24. Idéias Judáicas contemporâneas sobre o presente castigo do povo de Sodoma e de Gomorra são sugeridas em Jd 7. O fogo e o enxofre indicam a condenação eterna no inferno no fim dos tempos. (Ap 14.10; 19.2; 20.10,14; 21.8).

    Quanto ao teor dos castigos:

    Franklim Ferreira (em sua Teologia Sistemática) traz a percepção de Calvino a respeito do julgamento dos perdidos:

    Visto que nenhuma palavra pode descrever quão terrível é a vingança divina contra os réprobos, seus tormentos e sofrimentos nos são representados nas Escrituras por coisas materiais, a saber pelas trevas, choro, e ranger de dentes, pelo fogo inextinguível, pelo verme que não morre. Por tais métodos de linguagem é certo que o Espírito Santo quis estarrecer-nos totalmente com um senso de horror destes sofrimentos, mas aquilo que chama a nossa máxima atenção é a miséria de ser cortado de toda comunhão com Deus; e também de ter sua majestade tão disposta contra nós que não haverá meios de escapar dos seus terrores.

    O próprio Franklim Ferreira explica: Quanto à natureza do sofrimento, a interpretação literal destaca o lado físico. Se a descrição for tomada como um símbolo do castigo do inferno, devemos nos lembrar que a realidade deve ser bem pior do que o simbolismo do fogo. A realidade do inferno é de dor imensurável, além do poder da imaginação humana.

    Ademais também não devemos nos esquecer que além de existir o fogo da parte de Deus ainda há uma ressurreição corpórea aguardando por todos, justos (antes do Milênio) e injustos (Depois do Milênio), veja Daniel 12.2. O capítulo 15 de 1ª Coríntios é inteiramente dedicado a este assunto.

    Espero ter contribuido.

    Que Deus abençoe o entendimento de todos!

    • Duarte Henrique disse:

      Grande irmã Elenilda,

      Sua contribuição foi brilhante. É uma conclusão que, dentro da ortodoxia evangélica, está corretíssima. Contudo, penso eu, do ponto de vista ontológico, o “fogo que vinha do céu” continua sendo fogo no sentido MATERIAL, afinal o que o fogo queimava era MATÉRIA, os holocaustos, as cidades etc são coisas materiais, ou não? Além do mais, a cultura cristã ocidental, e não o cristianismo, é muito materialista, isso você não pode negar. Tende a ver tudo de forma material: o céu, o inferno, o corpo espiritual renovado etc…
      Quanto ao castigo, não gosto sequer da expressão “vingança de Deus”. Na verdade, cada um vai colher aquilo que plantou… Deus não é vingativo… esse sentimento é muito mesquinho para ser atribuído a ele. O castigo será no espírito, acredite! O sofrimento espiritual pode ser muito pior que o físico… Nunca ouvi falar de ninguém se suicidou por causa de dor física. Já por causa de angústia espiritual…

      Abraços!

  6. Thiago Neiva Fonseca disse:

    Paz e graça!

    A alma do homem não é eterna, nem mesmo o castigo do homem ímpio será eterno. Cuidado com as interpretações precipitadas.

    Abraços

  7. Fernando disse:

    Aii Gente tem um livro bom pra isso ” A divina Revelação do Inferno”Se for olhar essa questão, em lucas fala: É também digno de nota que Lucas reproduz a declaração de Cristo omitindo a referência a alma: “Digo-vos, pois, amigos meus: Não temais os que matam o corpo e, depois disso, nada mais podem fazer. Eu, porém, vos mostrarei a quem deveis temer: Temei aquele que depois de matar, tem poder para lançar no inferno. Sim, digo-vos a esse deveis temer” (Lucas 12:4, 5).

    Lucas omite a palavra alma-psyche, referindo-se, em vez disso, à pessoa integral que Deus pode destruir no inferno. É possível que a omissão do termo “alma-psyche” fosse intencional para impedir um mal-entendido na mente de leitores gentios acostumados a pensar na alma como um componente independente e imortal que sobrevive à morte. Para torná-lo claro de que nada sobrevive à destruição divina de uma pessoa, Lucas evita empregar o termo “alma-psyche” que poderia ser confusa para os seus leitores gentios.

    Tal interpretação confirma-se em Lucas 9:25, onde o termo psyche-alma é omitido; “Que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se vier a perder-se ou a causar dano a si mesmo?”. Presumivelmente, Lucas empregou aqui o pronome “ele” em lugar de alma-psyche, como usado em Marcos 8:36, porque dirigi-se a leitores gentios e desejava evitar ambiguidade, já que esses mantinham conceitos dualistas.

    O texto nos informa exatamente da possibilidade de a alma vir a “perecer” no geena ao ser ali lançada. Os dualistas buscam neste texto apoio para o conceito de que a alma é uma substância imaterial, mantida em segurança e que sobrevive à morte.

    Contudo, a referência ao poder de Deus de destruir a alma [psyche] e o corpo no inferno nega a noção de uma alma imortal, imaterial. Como pode a alma ser imortal se Deus a destrói com o corpo no caso dos pecadores impenitentes? Se este texto for lido à luz do sentido ampliado dado por Cristo à alma, o significado da declaração será: “não temais aqueles que podem trazer vossa existência terrena (corpo-soma) a um fim, mas não podem eliminar vosso potencial de obter a vida eterna; mas temais o Deus que é capaz de destruir vosso ser integral eternamente”.

    O poder do homem para matar se detém com o corpo e o horizonte da Presente Era. A morte que o homem inflige não é final, pois Deus chamará os mortos da Terra e concederá a imortalidade aos justos. A habilidade de Deus em matar e destruir não conhece limites. Atinge mais profundamente do que o físico e vai além do presente. Deus pode matar o corpo e a alma, tanto agora quanto no além”.

    Quando temos em mente o sentido ampliado que Cristo faz do termo “alma”, então o sentido de Sua declaração faz-se claro. Matar o corpo significa tirar a vida presente de sobre a Terra. Mas isso não mata a alma, ou seja, a vida eterna potencial recebida por aqueles que aceitaram a provisão da salvação de Cristo. Tirar a vida presente significa pôr uma pessoa a dormir, mas uma pessoa não é finalmente destruída até a segunda morte, que se dará no geena, ou lago de fogo, chamado de “segunda morte” (Apo. 20:14 e 21:8).

    A preservação da alma no ensino de Jesus Cristo não é um processo automático no poder da própria alma, mas um dom de Deus recebido por aqueles que estão dispostos a sacrificarem sua alma (a vida presente) por Ele. Esse sentido expandido de alma relaciona-se intimamente com o caráter ou personalidade de um crente. Pessoas ou forças malignas podem matar o corpo, a vida física, mas não podem destruir a alma, o caráter ou personalidade de um crente, bem como suas convicções íntimas.

    Deus comprometeu-Se a preservar a individualidade, personalidade, e caráter de cada crente. Por ocasião de Sua gloriosa vinda nas nuvens do céu, Cristo ressuscitará aqueles que morreram Nele, restaurando-lhes a alma, isto é, seu caráter e personalidade distintos. Agora sobre o fogo Duarte. eu acredito que o a alma da pessoa é lançado no fogo eterno, porque na biblia fala em (mateus 25:41 -Então dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o Diabo e seus anjos; )o inferno nao foi preparado pra nós;Observe fogo eterno, quem vc acha que está se queimando no fogo eterno?Os anjos que pecaram contra Deus e todas as almas que estáo indo para lá. As pessoas estáo em eterno tormento e estao sofrendo no fogo eterno até o dia do julgamento final. Se vc observar bem Duarte Olha o que o Rico no Hades falo em (lucas 16:23;24) No hades, ergueu os olhos, estando em tormentos, e viu ao longe a Abraão, e a Lázaro no seu seio.
    24 E, clamando, disse: Pai Abraão, tem misericórdia de mim, e envia-me Lázaro, para que molhe na água a ponta do dedo e me refresque a língua, porque estou atormentado nesta chama. Ele ainda estáva vivo lá no inferno sofrendo, e porque queria agua?porque ele estáva queimando!No fogo eterno. isso é logico.Entao e isso…Se uma pessoa for para o inferno, concerteza ela vai passar um eterno sofrimento sendo queimando no fogo eterno ate o dia do juizo final. Abracos..Espero nao ter saido do foco, ou do tema, desculpe por escrever tanto. FOi Mal..Flw.Galera

  8. MARCELINO MORAIS PINHO disse:

    Jesus coloca no NOVO TESTAMENTO, o livre arbítrio, colocando que ninguém é forçado a seguir os seus
    mandamentos, dando liberdade em escolher entre um mundo de luz sem pecado ou um lugar onde
    Jesus Cristo coloca onde há ranger de dentes e arrastar de correntes.
    Defino que o inferno e o ceu vive dentro de nossos corações e nossas obras definem nosso carater.

  9. MARCELINO MORAIS PINHO disse:

    Ratificando comentário anterior.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s