A “Feminização Masculina”…

Publicado: 28/11/2009 por Duarte Henrique em Devocionais
Tags:, , , ,

E aí galera, como estamos? Bem… De alguma forma, sempre bem!

Após as interessantes discussões acerca da natureza ontológica da roupa das mulheres, debate esse que acirrou muitos ânimos, trago a baila o segundo artigo (fiquei devendo) referente à crise de gêneros existente em nossos dias. Mais uma vez não pretendo ser exaustivo na análise, mas tão somente sugestivo, indicativo. Tampouco pretendo dizer aqui como os homens devem ser criados, isso é outra história. Por fim, ressalto que, muito do que será dito, serve pra mim também, não sou perfeito, definitivamente. Pode perguntar pra madame…

“Vós, maridos, amai as vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela” Ef. 5:25. Paulo não poderia ser mais enfático: o amor que o homem deve dedicar à mulher é simplesmente o mesmo que Cristo dedicou a igreja ao se entregar por ela. É uma afirmação inquietante, principalmente quando resolvemos analisar suas conseqüências. Diante daquilo que ouso chamar de “feminização masculina”, me pergunto se nós, homens, realmente estamos preparados para isso. A razão é simples: para se amar uma mulher nesses moldes é preciso ser homem de verdade, e não apenas possuir a genitália masculina. E o que é ser um homem de verdade? Bem, serei bem direto e direi apenas três coisas com base no texto e suas inferências.

A primeira coisa é saber tomar decisões difíceis sem entrar em crise. Jesus sabia que tinha que morrer pela igreja, então ele foi lá e morreu. Fim de papo. Não ficou questionando e pedindo para alguém dividir a responsabilidade com ele. Hoje, muitos rapazes se acostumam tanto a depender dos pais, empregados, parentes ou coisa que o valha, que simplesmente se tronam incapazes de resolver seus problemas. Tornam-se verdadeiros parasitas. Desse modo, é óbvio que serão namorados, noivos e esposos incompetentes. Na primeira crise porque passar o relacionamento se omitirão ou então, covardemente, exigirão dividir sua responsabilidade com a mulher. Amigo entenda, num relacionamento existem certas obrigações que são exclusivamente suas! A Obrigação de sustentar a casa, por exemplo, é sua! E isso começa no namoro. Que papo é esse de sair com sua namorada ou com quem você está interessado e querer dividir a conta? Uma vez ou outra (você esqueceu a carteira) ainda vai, mas isso tem que ser exceção. No casamento então nem se fala: Se a mulher, por exemplo, não quiser trabalhar, isso é uma escolha dela. Um homem de verdade jamais deve exigir que sua mulher trabalhe. Além do mais, você tem que estar preparado para tomar decisões sérias e assumir as conseqüências sem querer culpar a mulher depois. Não estou dizendo que devemos ser estúpidos e não ouvi-las, mas a responsabilidade por certas coisas é nossa. O problema hoje é que, com a “feminização masculina” muitos homens acham que as mulheres são obrigadas a dividir a responsabilidade com ele. Cada um no seu quadrado amigo. Se quer viver a vida toda como um playboy irresponsável não se case. Homem de verdade tem que trabalhar para sustentar a família. (Gn 3:19) A mulher tem que sentir confiança no comando masculino, se não tem todo direito de se sentir insegura, pois vai estar com uma “menininha indecisa” ao seu lado.

A segunda coisa é sempre buscar o melhor para mulher. Cristo fez o que fez porque sabia que era o melhor para igreja, não pensou nele e entregou a própria vida. Cito um exemplo ocorrido na nossa igreja. Não vou dizer o nome do rapaz. Ele e a esposa tinham ido comprar um carro pra ele. O carro que ele queria era um Fusion. Quando chegaram à concessionária ele foi adiantar a compra do carro. Contudo, percebeu que sua esposa não parava de olhar para um New Beatle, sem, contudo, dizer nada. O que ele fez? Como homem de verdade que é, comprou o carro pra ela e ficou com o carro velho dela! Isso é o que todo homem de verdade faria. O melhor é sempre para mulher, ela é prioridade.  Se der ele também faz o dele. Hoje, muitos homens acham que a mulher deve correr atrás das coisas. “Eu? Ficar satisfazendo luxo de mulher?!” É isso mesmo. Se não é homem suficiente para abrir mão do seu egoísmo fique sozinho. Afinal, se preciso for, temos que dar a vida pela mulher que Deus colocou ao nosso lado, e isso literalmente.

Por fim, a terceira coisa é que um homem de verdade é compreensivo. Cristo, apesar das nossas falhas, nos ama mesmo assim. Um homem de verdade reconhece que a mulher é mais emotiva que ele. Ele sabe que não pode esperar de uma mulher a mesma frieza e racionalidade diante da vida que ele, como homem de verdade, tem. Sabe ajudá-la nas fraquezas dela, e procurá-la nas suas. Essa característica também exige que o sujeito seja inteligente, ou pelo menos se esforce, pois um ignorante jamais vai compreender isso a fundo.

Muito mais poderia ser dito, mas deixo que a vida nos mostre…

Abraços!

Anúncios
comentários
  1. Cristiane Novais. disse:

    Mas que artigo pequeno!!!!! Faltou falar a quarta coisa,quinta…….um milhão….e etc.

    • Cris,

      Com certeza teria muito mais coisas para falar, mas como o próprio Duarte falou, ele escolheu três a partir do texto da passagem bíblica:

      “Bem, serei bem direto e direi apenas três coisas com base no texto e suas inferências.”

      Aquele outro comentário seu no artigo “Feminismo, O Suicídio da Natureza Feminina” ficou bem completo.

      Aquela parte do “Como a mulher não vai se preocupar em ficar sarada, turbinada e etc, sendo que a primeira coisa que os homens olham em uma mulher é a beleza física?!” foi o máximo…

      O Duarte podia tocar nesse assunto aí hehehehe

      Fuisss

  2. claudia torres disse:

    Muito bom esse artigo acho que todos os homens deveriam pregar esse texto na porta de seus veiculos.

  3. Boa Duarte,

    Vamos ver se as meninas páram de reclamar que estamos pegando no pé delas.
    Já vou adiantar alguns comentários que virão por aqui: “Mas Duarte, você está se contradizendo em tudo que você já escreveu (sobre o feminismo) e comentou aqui nos artigos polêmicos”. Bom… Não é querendo te defender não, mas provavelmente quem chegar a essa conclusão é porque não entendeu a metade do que você falou.

    Parabéns pelo texto. Bem sensato, imparcial e bem polêmico. Com certeza é paulada nas nossas cabeças.

    Vai ter homem vindo aqui para te dar aquelas tacadas… Prepare-se hehehehehe

    Fuiss

  4. Tamiris Tavares disse:

    Mt bom o post……
    Gostei por que foi baseada em textos bíblicos!
    Acho que poderiam fazer um desses pra nós tbm….

  5. Rômulo de Barros disse:

    Um texto com opinião apaixonada do Mestre Duarte, acho que influenciado pelos atritos de outrora, hehheheh!

    Está difícil ver isso na prática. Realmente a sociedade vai por outro caminho. Hoje em dia, no Brasil, se prega a igualdade de direitos e obrigações para os sexos. A Constituição já garante desde 1988. E, vem a tal força que, mesmo os preceitos que prestigiam a mulher têm caído. Exemplo: não há mais privilégio de foro para a mulher em ações de separação (explico: as ações de separação e de divórcio deveriam ocorrer no domicílio da mulher).

    Duarte e leitores, considerando os dois artigos e as discussões empreendidas aqui; vocês acham que deve haver igualdade ou não entre o homem e a mulher? Ou então, igualar, sim, mas com limites? Quais?

    • Rômulo de Barros disse:

      E tem mais: o exemplo do New Beatle é fantástico… Sou fã desse cara, mesmo sem conhecê-lo! hahahaha

  6. Roberto Cantanhede disse:

    Salve turma! O texto ficou muito bom, mas o título me induziu a pensar que a abordagem seria outra. Caminho por caminho, concordo com a abordagem do Duarte. Tomada de decisão, valorização e compreensão são de fato valores que a turma precisa enfatizar. Tudo isso corrobora um outro texto que diz que onde está o tesouro, ali também está o coração. Quando o foco se desloca do relacionamento para outra coisa qualquer, geralmente material mas também pode ser eclesiástica, tudo isso fica comprometido. As decisões se desequilibram, os valores se invertem e exigir qualquer compreensão se torna ilusório e pretexto para intermináveis discussões.
    Fiquei tentado a escrever o texto que a Tamiris pediu, a contrapartida feminina muahaha! Mas acho que isso é algo que alguma delas poderia se voluntariar, afinal, falar do outro parece mais fácil que falar de si mesmo!

  7. May disse:

    Gostei muito do texto..
    A idéia da Tamiris é uma boa já que fizeram para os meninos.

  8. Duarte Henrique disse:

    Bom gente, graça e paz!

    Senhoritas Tamiris e May, o texto para vocês, mulheres, está logo acima do que foi citado, no versículo 23 do mesmo capítulo: “Vós mulheres, sujeitai-vos a vossos maridos, como ao Senhor”. Lições básicas e super objetivas: 1ª Assim como a igreja não é obrigada a se submeter a Cristo, a mulher também não é obrigada a se submeter ao marido. Tanto a igreja como a mulher o fazem voluntariamente, por escolha própria.
    2ª Assim como nós, igreja, buscamos agradar a Cristo e honrá-lo, a mulher também deve buscar honrar e agradar ao marido.
    3ª Assim como a igreja aceita que Cristo seja seu cabeça, também a mulher deve aceitar que o marido seja seu cabeça.
    E mais ou menos por aí…

    Grande Dr. Dário, a questão da sexualidade masculina é muito complexa, com certeza mereceria um post exclusivo. Muitas mulheres se frustram hoje exatamente por não saber que a sexualidade masculina é muito, mas muito diferente da feminina. Elas alimentam sonhos inexistentes em relação aos homens e, por isso, acabam se desiludindo. Acho que deveriam ser mais realistas, ou pelo menos mais sinceras. Se eu escrevesse aqui sobre o assunto seria excomungado!!! uhuhuhuhuhuh

    Por fim, o mestre Rômulo. Respondendo sua pergunta: penso que DEFINITIVAMENTE não deve existir igualdade alguma entre homens e mulheres, em sentido algum! Os papéis são diferentes. Nem no sentido jurídico, como faz a constituição, sou favorável. E, no fundo, as próprias mulheres não iriam gostar se fosse tudo igual. Veja, por exemplo, que a idade para elas se aposentarem é diferente, a licença maternidade é de seis meses (setor público), enquanto que para o homem é de apenas cinco dias, não podem fazer trabalho pesado. Isso dentre outras diferenças jurídicas que eu poderia citar.

    O que deve haver é respeito pelas diferenças, MAS IGUALDADE JAMAIS!

    Abraços meu povo!!!

  9. Fabrício disse:

    Duarte sou seu discípulo confesso.

  10. Duarte Henrique disse:

    Que isso Fabrição!
    Eu é que sou teu fã! Aqui nós aprendemos juntos!

    Grande Abraço!

  11. Simone disse:

    Oi Duarte,

    Gostei do seu texto. Quando estava lendo-o pensei que esse seria um homem perfeito, mas ao mesmo tempo pensei… será que eu o amaria?! (não estou sendo irônica).

    Ultimamente venho refletido sobre tudo isso. Talvez parte dessa reflexão venha por sua causa, pelo jeito como você escreve sobre as mulheres; e pelo meu irmão implicante. Geralmente, quando fico com irritada, consigo refletir mais sobre as coisas. Graças a Deus, que não fiquei somente irritava. Graças a Deus, por não me deixar fechar a minha razão contra vocês, apesar de saber que ainda escrevi algumas coisas por implicância…

    Mas o que venho pensando é o seguinte…

    O jeito como vivemos hoje não é fruto de apenas 40 anos atrás. Não foi o machismo, não foi o feminismo. A origem disso tudo está no primeiro erro. Penso que Deus fez tudo perfeito, fez o homem perfeito e a mulher perfeita. Biologicamente perfeitos, harmonicamente perfeitos. Mas o pecado… o pecado estragou tudo. Tudo aquilo que era perfeito foi aniquilado pelo pecado. Podemos ver com clareza até um fato específico que eu já havia postado sobre Adão, quando Eva comeu do fruto da árvore da vida e ofereceu a Adão, ele era um homem perfeito e comeu junto com ela. Mas quando “os olhos se abriram”, tudo mudou… Com o pecado, nós destruímos a nossa natureza perfeita. Nós fugimos da nossa responsabilidade, criamos conceitos imperfeitos para nos justificar que perduram até hoje. Nós nos viramos um contra o outro. Buscamos nossos próprios interesses… Uma destas buscas para mim é o machismo, muito do que foi pregado foram conceitos errados sobre homem. Deus não fez o homem para ter mais de uma mulher, isso não é natural… se fosse, Deus teria criado Eva 1 e Eva 2. Deus não criou o homem para pensar em sexo 24h por dia…. mas que caminho seguimos!? Podemos ver que isso de tanto ser dito parece verdade, está ali no pensamento das mulheres que acham que o homem não pode recusar ter relação, se isso acontecer ele é gay. É tudo mentira, Deus criou o homem para amar e respeitar sua mulher, e vice-versa. Nós estamos até o pescoço nesta lama de pecados que nem conseguimos mais discernir o que é verdade e o que é mentira. Tudo é natural. É tão natural que até as mulheres estão tendo um desejo incontrolável por sexo, e por vários parceiros, isso seria o feminismo?! Para que eu não fique falando, falando… podemos ler Romano 1 – (…) Porque do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda a impiedade e injustiça dos homens, que detêm a verdade em injustiça (…) Porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscurece (…) Por isso também Deus os entregou às concupiscências de seus corações, à imundícia, para desonrarem seus corpos entre si. Pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente (…). E há tantas outras coisas das quais nem temos consciência. Imaginem o mundo que vivemos hoje em que não temos tempo para refletir em nada, fazemos tudo mecanicamente. Estamos o tempo todo sendo bombardeados por mentiras. Só Deus para livrarmos disso tudo.
    Já falamos sobre homens e mulheres de verdade, mas o que realmente estamos fazendo para tentar mudar o caminho que estamos seguindo? Eu estou tentado me livrar dos meus conceitos errados…. posso amar este homem de verdade que você descreveu, ser esposa e ser mãe.

  12. Duarte Henrique disse:

    Fala aí dona Simone? tudo bem? Creio que sim!

    Li seu texto e confesso que fiquei desarmado. Nada é mais beneficamente constrangedor que a sinceridade. Ela faz com que assumamos uma responsabilidade muito grande diante das pessoas e dos fatos. Quando alguém é sincero, para mim, é como se estivesse dizendo: “Cara, eu quero viver de verdade, e não somente existir”. Oscar Wild certa vez disse:”Viver é muito raro. A maioria das pessoas só existe”. Somente os sinceros vivem de verdade, pode ter certeza. E você foi sincera. Concordo com você que hoje, diante dos efeitos do pecado, seja muito difícil sabermos o que é e o que não é real, em todos os sentidos da vida, inclusive nos relacionamentos. Vivemos na caverna, como dizia Platão, e sair de dentro dela é uma escolha de cada um. Mas uma coisa eu afirmo: A vida tem compromisso com aqueles que tem compromisso com ela! Eu penso que, no fundo, o amor não deixe de ser uma grande loteria, desde os tempos de Adão. A diferença é que a vida acaba dando uma “ajudinha” para àqueles que procuram “sair do automatismo”, como você mesmo disse. É como saltarmos de um precípício, cujo o fundo não enxergamos. Mas pode ter certeza: os sinceros hão de cair nos braços da pessoa certa, seja o homem encontrando uma mulher de verdade, seja a mulher encontrando um homem de verdade!
    O primeiro passo você já deu, a sinceridade. A vida vai fazer a parte dela…

    Abraços! Aqui, e na vida, crescemos juntos!

  13. Cláudio Lima disse:

    Grande Duarte, parabéns pela coragem de defender aquilo que acredita ser o certo. Concordo com vc em tudo, e digo mais, Deus abençoa aqueles que trabalham e tem coragem, o problema é que muitos não tem coragem e outros tantos não querem trabalhar. Mas olha só que engraçado, como os homens são realmente diferentes das mulheres, neste artigo, nenhum homem quis te matar por tê-lo escrito, já no artigo “Feminismo, O Suicídio da Natureza Feminina” algumas mulheres se sentiram ofendidas… hehehehehheehehe!!!!

  14. Rômulo de Barros disse:

    Para fazer um barulhinho:

    Será que o primeiro item não está extremista não? Será que ele não cria um exteriótipo de super-homem? Pois, até Jesus teve um momento de dificuldade e fraqueza:

    – No Getsêmani: “A minha alma está profundamente triste até à morte, ficai aqui e vigiai comigo” […] “Pai, todas as coisas lhe são possíveis, afasta de mim este cálice; contudo, não seja feita a minha vontade mas, sim, a tua”. […] “e o seu suor era como gotas de sangue que caiam no chão”.

    Um salve para o ARRUDA! Outro para o BRUNELLI, pura emoção sua oração!

    • Opa Rômulo,

      Não foge não rapaz… Volta aqui… Tem que ser super-homem mesmo rapaz: Você tem que usar a razão nas dificuldades e prepare-se que elas virão! É por isso que homem tem que ser homem… heheeh brincadeirinha com um fundão de verdade! A verdade é que não somos preparados para isso! Estamos virando umas mocinhas (como diria o mestre Álvaro)…

      Agora com relação a Jesus eu não sei se algum homem aguentaria o que ele aguentou (humanamente falando)… Com certeza pediríamos arrêgo para Deus (como Ele fez).

      Temos que lembrar que Jesus foi homem nesta terra, sujeito às mesmas dificuldades que nós… Porque não conseguiríamos ser igual a Ele?

      O bom mesmo é fazer o que o Duarte disse no comentário abaixo: Fala logo que você é um frágil para a sua futura esposa que ela não terá surpresas hahahahaa

      Um Salve pro Arrudão, Brunellão e Prodentão…

      • Rômulo de Barros disse:

        Com certeza Dário.

        O que quis dizer é: responsabilidade existe, dela não há fuga, mas a mulher também nos serve de porto seguro em muitos momentos, quando estamos a fraquejar!

  15. Duarte Henrique disse:

    É um bom argumento grande Rômulo, deve ser ponderado.

    Contudo, penso que saber tomar decisões não implica necessariamente em não entrar em crises, ao menos no sentido que eu quis falar. Concordo que no Getsêmani Jesus teve uma profunda crise existencial. Porém, o importante foi o fato de que ele teve a sobriedade de, primeiro, dizer que acima de tudo a vontade de Deus deveria ser feita, e não a dele. Passarmos por uma crise não significa sucumbirmos a ela. Talvez, ficaria melhor seu tivesse colocado no texto esse adendo. Bem observado.
    Em segundo lugar, e mais importante penso eu, é que Jesus não desesperou os discípulos ou mesmo os culpou por não terem vigiado com ele, muito embora os tenha advertido. Ele sabia que era o dever dele, e de ninguém mais.
    Concordo com você que não devemos jamais buscar a imagem de “super-homens”, e devemos deixar isso claro para as mulheres com quem nos relacionarmos. Mas não tenha dúvida de que, nos momentos difíceis, elas vão buscar proteção, e será nossa obrigação protegê-las. Mesmo que estejamos em crise, devemos agir como Jeus agiu. Esse é um dos ônus inevitáveis do casamento para o homem. A coisa é séria…

    Abraços!

    • Duarte,

      Cuidado de novo com o super-homem… Pode ter certeza que nós também iremos buscá-las nos momentos difíceis: Frouxos do jeito que estamos, porque não em busca de “Proteção”.

      Será que fui machista meninas? Vocês gostariam de ter um homem que precisa mais de proteção que vocês? Respondam sinceramente.

      Fuiss

      • Isabel disse:

        Olá Dário. Precisamos de homens que saibam reconhecer seus seus sentimentos e que aprendam a lidar com eles. Quem nunca viu um homem “Macho” (assim mesmo, com M maiúsculo) mostrar seus fracassos na hora de maior necessidade? Talvez seja, porque somos seres humanos.

  16. Cláudio Lima disse:

    Apelou perdou!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s