Pedofilia, Pederastia e Homossexualismo, Continuaremos Omissos?

Publicado: 16/04/2010 por Duarte Henrique em Avisos, Devocionais, Notícias
Tags:, , ,

Fala galera, tudo bem? Deus faça sua vontade.

O objetivo que me traz aqui hoje é o de falar sobre um tema complexo e grave, mas que, infelizmente, tem sido totalmente ignorado por boa parte de nós, evangélicos: Pederastia, homossexualismo e pedofilia. Definitivamente não tenho a mínima pretensão de exaurir o assunto (demasiado complexo e amplo), mas apenas iniciar uma discussão. O Dário me enviou dois textos (link ao final do post) e eles me despertaram a necessidade de debatermos o assunto, afinal, a igreja, como sal da terra e luz do mundo, não pode se omitir. Além do mais, não sejamos inocentes, tais coisas acontecem em nosso meio também.

Mais uma vez notícias sobre escândalos sexuais na igreja católica tomam a mídia. Sem muita variação a prática é sempre a mesma: Pederastia. A mídia faz questão de enfatizar o envolvimento da igreja católica. Coincidentemente, muitos casos de pedofilia têm tomado grandes proporções nos meios de comunicação, não raro destacando o envolvimento da família ou de algum familiar no ocorrido.

Porém, uma coisa que me chamou a atenção num dos textos, foi o destaque dado pelo autor ao fato de que nunca, NUNCA, esses episódios são apresentados como algo relacionado à práticas homossexuais. Definitivamente não quero associar o homossexualismo à pedofilia. Contudo, é inegável que em boa parte dos casos essa prática esteja envolvida. Ontem, conversando com o psicólogo aqui de casa, “Dr.” Álvaro Duarte, fui informado de que nem sempre a prática homossexual implique necessariamente em homo-afetividade, quer dizer, nem sempre quem pratica o ato homossexual é, de fato, amante de homens ou meninos. É o caso, penso eu, dos presidiários que mantêm relações sexuais entre si, mas unicamente por necessidade sexual, e não por homo-afetividade. Todavia, é inegável que práticas homossexuais quase sempre estejam relacionadas à pedofilia e, sempre, no caso da pederastia. Pergunta-se então: Por que quando esses casos são divulgados pela mídia quase nunca se faz tal associação? Uma hipótese possível é a de que isso ocorra propositalmente para que as pessoas não atrelem essas práticas (pedofilia e pederastia) ao homossexualismo. Afinal, os gays (sentido amplo) mais do que nunca estão começando a buscar sua inclusão e aceitação pela sociedade heterossexual, o que em parte começa a acontecer. Caso o homossexualismo fosse associado a essas práticas, provavelmente o movimento gay começaria a perder “terreno” e influência. Não podemos nos enganar, é fato que há tempos a mídia, de certa forma, tem apoiado a causa homossexual de forma clara. Novelas (principalmente as da Globo), desenhos infantis (Bob Esponja, Meninas Super Poderosas, Vaca e o Frango por exemplo) e agora a forma como essas notícias são passadas pela mídia demonstram o quanto querem nos fazer aceitar a causa homossexual à força. A mídia destrói a imagem da igreja católica (tentando destruir indiretamente os valores cristãos) e da família porque são duas instituições que ainda velam por valores importantes na sociedade, mas que vão de encontro aos anseios da causa homossexual. Se eles conseguirem macular a imagem destas duas instituições, desmoralizando-as, sem que, ao mesmo tempo, as práticas destruidoras sejam associadas ao homossexualismo, terão ganho a batalha, afinal as pessoas pensarão o seguinte: Ora, a igreja católica é contra o homossexualismo e o aborto, mas vejam o que os padres fazem com as criancinhas! (Se esquecem que o padre tem relações homossexuais com as crianças); ou então pensarão o seguinte: Do que adianta a família, se os principais casos de pedofilia acontecem lá, no seio familiar?

Reconheço que nós cristãos, na maioria das vezes, quando não somos omissos, não temos a menor idéia de como lidar com a questão. Preferimos simplesmente condenar todo mundo ao inferno e ponto final. Esse tipo de esculhambação também é dispensável. Temos que encarar essa realidade e buscar sabedoria divina para sabermos a melhor maneira de agir quando lidarmos com essas pessoas (homossexuais, pedófilos, pederastas etc). São seres humanos, amados por Deus. Na maioria absoluta dos casos essas pessoas também foram vítimas de abusos e violência na infância. Sofrem por causa de seus erros, muitas vezes tanto quanto as vítimas. Todavia, o que também não podemos fazer é considerar o homossexualismo algo normal, porque definitivamente não é. Pode até ser que não seja uma doença, não sei, mas, no mínimo, deve ser considerado um distúrbio sexual, uma contradição à natureza, como Paulo coloca no primeiro capítulo de sua carta aos Romanos. Não é possível apoiarmos causas como a da N.A.M.B.L.A (North American Man/Boy Love Association. Tradução livre: Associação Americana do Amor entre Homens e Meninos) como sendo algo normal. DEFINITIVAMENTE NÃO É NORMAL.

No mais galera, fico por aqui. O assunto é complexo e, como sempre, busquei ser sucinto. Esse é apenas mais um dos temas que, como cristãos, deveremos enfrentar daqui em diante. Chega de omissões. As pessoas já estão cansadas do nosso discurso, quase sempre moralista e alienado, mas sem a mínima disposição de ir dialogar com elas. Ouví-las, sem preconceito, como Jesus fazia. Estamos no mundo e, portanto, é aqui que devemos ser aquilo que Cristo espera de nós: Sal da terra e luz do mundo

Abraços!

Quem quiser saber mais:

http://juliosevero.blogspot.com/2006/04/padres-pedofilia-e-homossexualismo.html

http://pavablog.blogspot.com/2010/04/pedofilo-e-gente.html

http://www.nambla.org

Receba nossas atualizações através do Twitter (@MPVidaTV) ou por email através da opção “Atualizações por Email”, no canto superior direito.

Anúncios
comentários
  1. Paz e graça Duarte,

    Algo complexo é entender o que é o homossexualismo, seria uma doença, é genético, ou um desejo carnal proveniente do homem caído?

    O que o irmão diz a respeito?

    Thiago N. Foncesa – http://www.cristoocentro.blogspot.com

    • Duarte Henrique disse:

      Fala Thiagão, que bom te ver por aqui de novo!

      Realmente é muito complexo entender até mesmo aspectos elementares dessa discussão. Definitivamente estou apenas iniciando meus estudos sobre o assunto, mas creio que exista uma necessidade urgente de começarmos a enfrentar essas questões abertamente, pois como disse, elas também ocorrem em nosso meio. Eu, particularmente, até onde já estudei sobre o assunto, não consigo atribuir o homossexualismo a qualquer questão genética. Sempre existe um fator exterior que desenvolve o “quadro”. Falando em “desenvolvimento de quadro” já sugiro que o homossexualismo seja, na verdade, um distúrbio sexual (o que não deixa de ser uma espécie de psicopatologia). Eu não diria que é mero desejo carnal porque, sem que haja uma profunda deturpação da natureza humana, ninguém pode desejar o homossexualismo voluntariamente. Quando o faz, já o faz por existir algum distúrbio, seja por trauma na infância ou por alguma espécie de irregularidade em seu desenvolvimento infantil. Tampouco vou atribuí-lo aqui a possessão maligna, ao menos como geralmente é atribuído. Mas isso é outra questão… Mas e você, o que acha?

      Abraços!

      PS: bom saber que você tem um blog também. Espero poder participar de sadias discussões lá também.

  2. Irmão Duarte,

    Não creio que seja genético. Uma doença? Também não. Nunca me aprofundei no assunto, mas numa análise particular, eu não me supreenderia se fosse puramente um desejo infame, carnal, proveniente do homem caído. A Bíblia diz que o coração do homem é desesperadamente corrupto (Jeremias 17.9), o pecado habita o ser desde que nós nascemos, em pecado fomos concebidos. Fico pensando nas crianças que foram crescendo sem ter sofrido traumas que os levassem ao homossexualismo, mas mesmo assim, demonstrava algo contrário a natureza. Existem aqueles que depois de “velhos”, já casados e com filhos “saem do armário”, creio que sempre tiveram o desejo, mas a oportunidade demorou a chegar para satisfaze-lo.
    Talvez algum abuso sofrido, ou não sofrido, tenha alimentado o desejo de viver essa vida infame, em Romanos 1.26 fala que algumas pessoas são entregues aos seus desejos infames, e o contexto fala das mulheres deixando o uso natural, contrário a natureza e de homens deixando o uso das mulheres e se inflamando em sua sensualidade uns com os outros, homem com homem.
    Até então creio desta forma, estou aberto a aprender, pois não fui muito longe no assunto, por enquanto me prendo apenas as Escrituras buscando ver o que é o homem, a sua maldade, carnalidade que o destrói e faz dele homem caído, corrupto, imoral e etc.

    Ouço dizer de pessoas que crêem no Senhor, em sua palavra, mas tem o desejo homossexual? O que pensa a respeito? Vendo que outros tem o desejo de matar, maldizer, fornicar, e etc?

    Paz e graça seja contigo meu irmão!

    Em Cristo,
    Thiago N. Fonseca

  3. Rômulo de Barros disse:

    Tema que terá uma crescente impressionante nos próximos anos.

    DUARTE, entendi o seu enfoque, acerca do ocultamento da questão homossexual. Mas veja bem, isso é complicado. Se a necessidade é sexual, por que, ao invés de crianças e adolescentes, os indigitados não procuram homens ou mulheres a fim de se saciarem? Como disse o JABOR, no interior isso chega a ser trivial (com mulheres, que, segundo a lenda, tornam-se mulas sem cabeça). Nâo sei se o problema é o celibato, também…

    Ouvi uma entrevista na CBN com um “ex-padre”, o PhD Leonardo Boff, que esteve no alto clero da igreja romana e, perguntado sobre o homossexualismo, ele diz:

    “Se é amor, eu não condeno. Se existe amor entre dois homens, Jesus não os condenaria”.

    Poxa, é tão fácil explicar as coisas elevando o sentimento amoroso, não é? Daqui a pouco vamos justificar a guerra pelo amor, como nos crimes passionais, em que maridos doentiamente ciumentos ceifam suas preciosidades dizendo terem agido por amor.

    Acho que a bíblia é muito explícita nessa questão, quando condena aqueles que modificaram a forma natural, para praticarem coisas espúrias. É como comentou o THIAGO na emblemática carta aos ROMANOS, de Paulo.

    Como o DUARTE, também acho bem injusta essa perseguição à Igreja Católica, e concordo que trata-se de um estratagema para aniquilar os verdadeiros pilares morais desse planeta.

    Vamos ao debate!

    • Bastante complexo o assunto…

      A verdade é que a mídia e os grupos gays já conseguiram colocar na cabeça de todos que é uma questão genética. Se um Teólogo e PhD Leonardo Boff já foi convencido, imaginem a sociedade?

      Me provem aonde a ciência comprovou isso? De tanto falar essa mentira já virou uma verdade. Não se iludão… Não existe comprovação científica para isso!

      Já ouviram falar da tal frase?

      “Digam mentiras grandes. Diga-as de forma simples, repita-as constantemente, quantas vezes você puder, até que as pessoas comecem a acreditar no que você está dizendo” Adolf Hitler

      Agora a mídia é covarde; Em todos as áreas eles tentam de todas as formas comprovar a tal homofobia (que no sentido verdadeiro não é um simples “não concordo”). Eu diria que a violência e a discriminação contra os pobres e negros são muito maiores.

      Semana passada, o tal dos Legendários (Rede Record) fez uma “pegadinha” para saber quem sofre mais de preconceito: Loira, gay e negro. Adivinhem quem foi o mais discriminado? O NEGRO! Essa semana o mesmo programa, por desencargo de consciência, resolveu fazer outra pegadinha só com o gay. Será que essa mídia não é tendenciosa?

      Por enquanto é só.

      Se tiverem tempo, leiam sobre o tal Gene Gay no artigo abaixo:

      http://juliosevero.blogspot.com/2005/04/existe-realmente-um-gene-gay.html

      Abração

  4. Luis Felipe disse:

    Primeiro, comparar a homossexualidade com pederastia e pedofilia foi uma atitude extremamente idiota, mas é o que eu espero de alguém do nivel de vocês. Comparar gays com pedofilos indica claramente que você criminaliza homossexualismo, e isso, sim, é um crime! Segundo, o termo não é homossexualismo e sim homossexualidade. A terminação -ismo foi abandonada há mais de duas decadas, porque foi provado que ser gay não é doença, e -ismo se refere a doenças. Claro que eu penso que a sua mente deve estar umas duas decadas atrasada. Se vocês não encaram isso como algo normal, simplesmente deixem todos quietos. Nenhum gay está pedindo a opinião e muito menos a ajuda de vocês. http://migre.me/GaAw Esse link leva a um estudo que comprova que o cerebro de homossexuais é diferente dos heteros. E só pra constar, você acha que tem que se “mobilizar” pelos homossexuais, porque não se mobiliza pelos pastores que roubam os fieis, com as falsas promessas: “Vamos aumentar a igreja!”, “Queremos trazer tal pessoa pra pregar” e outros? Em vez de preocupar com os problemas que a instituição de vocês criam e tem, vocês preferem procurar “sarna pra coçar”. Você está usando a religião para disseminar seu preconceito, e no caso de algumas pessoas, o odio. A biblia não condena ninguem e é categorica em que somente Deus pode jugar as pessoas, mas todos os evangelicos insistem em tentar resolver os problemas dos outros, como se fossem completamente livres de pecado. O que você me diz dos videos que vazaram na internet, de diaconos veteranos instruindo os mais novos a como “arrecadar” mais dinheiro dos fieis. Por que não tentam acabar com as palhaçadas com o nome de Deus, antes de tentar “resolver os problemas dos outros”? E, por favor, limite-se a dar sua opinião quando ela for pedida. Sem mais delongas, desejo do fundo do coração que você encontre Jesus, ou o Diabo, se ele te aturar, mais rapido do que você pensa.

  5. Luis Felipe disse:

    Boa desculpa. Garanto que só leu as primeiras linhas.. E eu acho que você entende tanto de democracia quanto de criminalidade.. Ou seja, quase nada.

  6. A pedofilia, com que é, por vezes, identificada, é geralmente considerada como uma perversão sexual caracterizada pela atracção física (ou de outra ordem) por crianças até a puberdade, sejam elas do sexo masculino, feminino ou ambos, sendo mesmo classificada como uma doença mental pela Organização Mundial da Saúde[8], enquanto a pederastia, pelo contrário, dirige-se exclusivamente para adolescentes do sexo masculino e não possui essa conotação de doença mental. Os dois termos são assim mutuamente excludentes. Por sua vez, os pedófilos podem ser de ambos os sexos (homens ou mulheres) e também de ambas as orientações sexuais, heterossexuais ou homossexuais.

    Devido à sua carga pejorativa e à associação com a pedofilia, os termos pederasta e pederastia têm caído em desuso e são raramente utilizados pelos meios de comunicação, como sinónimos de homossexual e homossexualidade, tanto no Brasil como em Portugal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s