1º Beréia Debate do Ano – Eleição Vs Livre Arbítrio

Publicado: 06/05/2010 por Duarte Henrique em Avisos, Devocionais, Notícias
Tags:, ,

Fala galera de Deus! Tudo na benção? Renovados?! Mesmo?!

Pois é, aproveitando o embalo do Acampamento, gostaria de convidá-los a participar do nosso primeiro Beréia Debate do ano. Tenho certeza que o salão estará lotado, afinal estamos todos renovados, e não existe  na história da igreja nenhum registro de RENOVAÇÃO que não seja sucedido de um profundo interesse  pelo estudo e conhecimento das escrituras! Renovação sem bíblia não passa de mera EMPOLGAÇÃO. Sei que não é o nosso caso, por isso espero vocês lá. É como disse o Rafa, com maestria na palavra da liderança dessa semana, “FICA AÍ UM DESAFIO PARA VOCÊ JOVEM: VAMOS CONTINUAR O ACAMPAMENTO EM NOSSAS VIDAS????”.

O tema será Eleição vs. Livre Arbítrio. Contaremos com a presença de dois “faixas-pretas” em teologia: O Pr. Alberone de Almeida (nosso pastor da sede), que defenderá o livre arbítrio, e o Pastor Isaías Lobão, da igreja Presbiteriana do Cruzeiro, que defenderá a eleição (link para o site dele http://www.isaiaslobao.pro.br/). Será um Beréia super especial, inclusive será filmado. Deixo algumas questões com vocês: A Salvação é um ato divino ou é uma escolha humana? (Nem tente misturar as duas coisas, é impossível). Existem pessoas escolhidas por Deus, ou todos indistintamente são escolhidos? É possível perdermos a salvação? Se Deus realmente escolhe alguém, quais são os critérios? Enfim, existem muitas outras questões a serem discutidas. Espero todos os jovens lá hein?! Principalmente os renovados! Vamos prestigiar nossos pastores, temos muito que aprender, e reaprender, se é que me entendem…

Dia, local e horário: 10/05, no salão da igreja, às 20h00minh.

Abraços!

Anúncios
comentários
  1. Fabricio disse:

    Caracaaa não tem como perder!! To empolgado já

  2. Fabio disse:

    É possível uma visão conglobante, na qual tanto a eleição divina como o livre arbítrio sejam compatíveis, sem preponderância da INTERPRETAÇÃO PESSOAL/DOUTRINÁRIA de uma sobre a outra?
    Penso que se as Escrituras dão margem, ou ao menos passagens que podem ser usadas para defender ambos os posicionamentos, dependendo do uso INTERPRETATIVO que cada corrente faça deles, seria melhor aceitar que tanto somos absolutamente responsáveis por todos os nossos atos livres, como Deus já predestinou tudo absolutamente, ainda que eu não consiga explicar como isso ocorre sem que uma vertente exclua a outra.
    Não sei se ficou claro o que perguntei, mas basicamente é resumido nisto: se defensores do livre arbítrio e da eleição acham versos bíblicos que dão suporte a ambas as ideologias, dependendo unicamente da INTERPRETAÇÃO de cada um e não de uma clareza inquestionável nas Escrituras (como p.ex. quando diz que “E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo, depois {disso,} o juízo,”ARC1995, donde se extrai que ninguém reencarnará) e se cada uma afirma que a INTERPRETAÇÃO do outro é amadora, sofismável, incorreta e “sem fundamentação bíblica”, não acabamos brigando mais entre nós do que contra o reino das trevas, numa questão que só cabe a Deus saber e dar a última palavra?
    Penso que muitos se arvoram ao posto de “leais defensores da soberania divina ameaçada” quando isso é tolice, pois a soberania divina jamais será ameaçada por não sabermos como ocorre o mecanismo exato da salvação e da responsabilização pessoal pelo pecado, de acordo com os propósitos eletivos de Deus. Mas eu sou peixe pequeno e apenas quero saber a opinião de VVSSa. sem as intermináveis repetições de citações bíblicas num e noutro sentido, pois já li todas, acredito, e encontrei defesa para ambas as ideologias bastante plausíveis.
    Abs.,

    • Clóvis disse:

      Fábio,

      Creio que muito depende das definições adotadas pelas parte envolvidas no debate. Dependendo de como o livre-arbítrio é conceituado, nenhum calvinista discorda dele. Como também pode procurar à vontade que não encontrará um arminiano que negue a soberania divina. Portanto, dependendo do que se entende por cada um dos termos, pode haver conciliação sim, entre soberania e livre-arítrio.

      Outro ponto onde é possível haver concordância é entre determinação divina e responsabilidade. Os termos são paradoxais, mas necessariamente contraditórios. A Bíblia ensina ambas as coisas, portanto, não podemos optar por uma delas, temos que confessá-las juntas, como o faz a Escritura.

      Porém, quando os termos são definidos conforme historicamente definidos, e mantidos inalterados durante o debate, qualquer tentativa de conciliação à moda de “Eleitos, mas livres” é frankeinsteiniana. Mesmo assim, ao debater o tema, intramuros, não é dar tréguas ao reino das trevas, mas buscar uma melhor compreensão do assunto.

      Deus o abençoe,

      Clóvis
      Editor do Cinco Solas

      • Clóvis disse:

        Errata:

        Onde se lê:

        Os termos são paradoxais, mas necessariamente contraditórios.

        Leia-se:

        Os termos são paradoxais, mas não necessariamente contraditórios.

        Clóvis

  3. Clóvis disse:

    E quem está aqui no Sul e não pode participar, fica como???

    Algém se dispõem a enviar porções aos que estão distantes, quer dizer, disponibilizar o filminho na faixa?

    Em tempo: estou com o Pr. Isaías, of course.

    Em Cristo,

    Clóvis

    • Duarte Henrique disse:

      Fica tranquilo irmão Clóvis, vamos disponibilizar o vídeo aqui no blog. Participe sempre conosco em nossas discussões.

      Abraços!

  4. Paz Duarte,

    Se Deus assim permitir, vou comparecer ao debate, é um tema de bastante relevância para a Igreja hoje, ainda que a maioria assim não creia.

    Paz e graça.

    Thiago N. Fonseca

    • Duarte Henrique disse:

      Ô Thiagão,
      Se você puder comparecer será uma honra pra gente. Sua presença irá abrilhantar nosso debate.

      Abraços!

  5. Lima disse:

    Graça e Paz irmãos,
    Duarte lhe parabenizo pelo o excelênte tema, o momento é muito propicio visto o povo perece por falta de conhecimento.
    A grande reação à idéia de que Deus predestinou uns para a salvação e, conseqüentemente, outros para a perdição eterna é que isso seria uma arbitrariedade, uma demonstração de falta de amor, uma injustiça e, principalmente, uma violação ao livre arbítrio do homem. Antes de qualquer avanço, devemos definir o que entendemos por livre arbítrio. Vamos afirmar que livre arbítrio é a capacidade que o homem tem de escolher livremente, incluindo-se aí a capacidade de responder positivamente ou não à oferta de redenção em Cristo. Em outras palavras, o homem tem a faculdade de decidir por si mesmo se deseja ou não ser salvo, e Deus só pode salvá-lo se o homem o desejar e assim decidir. Creio que esta definição se adequa ao pensamento dos que rejeitam a doutrina da Predestinação.
    Concordo que a idéia de que Deus dá opção ao homem de aceitar o sacrifício de Cristo é bem mais simpática e soa coerente à primeira vista. Porém, será que ela passa pelo crivo da Bíblia?
    Vocês escolheram um excelente debatedor o Rev. Isaias Lobão, embora que o pastor Alberoni seja um grande homem de Deus.

    • Duarte Henrique disse:

      Grande irmão Lima,

      Não suma não moço! O tema é realmente complexo. Tenho um posicionamento pacífico sobre o assunto. Mas prefiro nem falar pra evitar confusão… Seja o que Deus quiser! O debate sempre enriquece. Sejamos nós mais nobres que os de Tessalônica… Compareça se puder, abrilhante nosso debate.

      Abraços fraternos

  6. Rafael disse:

    Ontem o debate foi muito bom. Elucidativo.
    Continuarei adotando a Sinergia em relação a salvação.
    É o que faz mais sentido para mim.

    A impressão que tive é que o “eleito” é o “menino que é o dono da bola”.
    Não é uma crítica, por favor. Não me entendam mal. Apenas minha impressão.

  7. Lima disse:

    “O DONO DE TUDO” inclusive da bola é CRISTO, pois Ele é o Criador (Jo.1.1-3).
    A Biblia ensina, que o homem natural acha-se em estado de inimizade contra Deus; que tal homem nao está sujeito à lei de Deus, e nem mesmo o pode estar. A Biblia assevera que o homem está morto em seus pecados, que o homem ama a injustiça, e nao a retidao, pois está preso ao pecado (Jo.3.19; 8.34; Rm.8.7; Ef.2.1-10).
    A pergunta que se impõe é a seguinte: Goza o homem natural da liberdade de praticar o bem, de escolher a Jesus Cristo, de aproximar-se de Deus? A resposta é um inequivoco “Não!”.
    Em seu estado natural, o homem é escravo do pecado. Um escrvo pode pensar que lhe é dado fazer quaquer coisa que quiser, mas a verdade é que ele sempre vai preferir fazer o que é errado. Ponhamos uma Biblia e uma garrafa de bebida alcoólica diante de um alcoólatra. Esse homem tem a liberdade de fazer o que bem entender; a dificuldade é que já sabemos o que ele sempre preferirá. Convidemos um Toxicômano a uma festa de heroina ou uma reunião de oracão; ele tem a liberdade de fazer o que bem entender, mas o problema está “naquilo” que ele vai querer fazer! Oferecemos uma caixa de bombons de chocolate a um glutão; ele tem a liberdade de comê-lo ou não, mas é ele, realmente, livre? Não!. Pelo contrário, é controlado pelo seu apetite. É escravo, e, por conseguinte, é servo de suas próprias emoções, afetos, desejos e paixões.
    Devemos salientar que todos eles podem eliminar estas práticas; todavia, jamais podem preferir ser santos. Pois mesmo que viesse a livrar-se do alcool, de seu tóxico e de sua glutonaria, ainda assim continuaria sendo um pecador profano, incapaz de escolher a Cristo Jesus. E por que se encontram essas pessoas nessas condições? É que a mente e o coração delas estão entenebrecidos pelo pecado. Sua mente e seu coração as enganam. Acham-se em estado de inimizde contra DEUS. Só Jesus Cristo pode libertar este homem da sua escravidão (Jo.8.36).

  8. Paz e Graça,

    Participei do debate, mas como sempre continuo vendo os Arminianos como aqueles que querem dividir a glória da salvação com Deus, a qual Ele não divide com outrem, e os Calvinistas como um homem que caminha bem até umas horas mas que logo começa a manquejar, por não dar conta da trilha a qual quer caminhar.

    Entre textos bíblicos forçados e manipulados, prevaleceram as palavras de Armínio e Calvino. O povo de Deus deve parar de ficar se firmando nas palavras de Calvino e Armírio (não desprezando a grande contribuição destes homens) e nos voltarmos às Escrituras Sagradas, pois ambos tornam a bíblia um livro contraditório, e se ela se conradiz não serve para ninguém.

    Que Deus nos abençoe e nos direcione a um caminho melhor, à sã doutrina de Cristo e Seus Apóstolos, que nela venhamos perseverar. “E perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações.” Atos 2.42

    Jesus Cristo é o Senhor!

    Thiago N. Fonseca

  9. Duarte Henrique disse:

    Galera,

    Eu particularmente achei o debate de ontem muito produtivo. Muito embora a luz tenha acabado e só voltado ao final do debate, o que inclusive impossibilitou a gravação regular, creio que tivemos um bom proveito. Thiagão, o problema é muito mais antigo que a discussão de ontem. Não é sobre Calvino ou Ármínio, é sobre Deus ou homem. O monergismo é a visão bíblica, segundo penso. Deus é o centro do universo, e não o homem… somos apenas seres que devem cumprir seu destino…
    Espero que o próximos debates também sejam produtivos! Em breve teremos um debate sobre música.

    Abração gente!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s