Chegou a vez do sapatinho de fogo. O que ele fez no primeiro trimestre?

 Encaminhamentos

1. Apresentou o PL-309/2011 visando alterar a Lei 9.394/96 a fim de tornar obrigatório o ensino religioso nas redes públicas do país até o ensino fundamental. Na redação atual, o ensino religioso é facultativo.

2. Requer Voto de Louvor à Sociedade Bíblica do Brasil pelo Programa “A Bíblia para Pessoas com Deficiência.”

3. Encaminhou pedido de informações ao MEC sobre os parâmetros para definição curricular e demais aspectos do ensino religioso que é oferecido atualmente.

 

Discursos em Plenário

Vou trazer apenas os principais, pois o amado avivalista gosta de usar a tribuna.

16/02/2011. Discursou apresentando contrariedade ao desarquivamentos dos projetos de lei que tratam da homofobia. Deu traços de sua opinião contra tais leis dizendo que práticas homofóbicas já possuem trato legal no Código Penal.

24/03/2011. Alertou quanto à estatística de 40 mil crianças desaparecidas por ano no Brasil. Sugeriu a política de outros países em imprimir retratos em embalagens de produtos com alta vendagem. Puxou o saco do CQC por uma matéria.

29/03/2011. Homenageou o ex-Vice-Presidente José de Alencar. Disse que estaria no céu sob os aplausos dos anjos.

 

POLÊMICA

Noticiou-se no dia 30/03 que o deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP) afirmou, em sua página no Twitter, que os africanos são descendentes de um “ancestral amaldiçoado por Noé” e que sobre a África repousa maldições como o paganismo, misérias, doenças e a fome.

“Africanos descendem de ancestral amaldiçoado por Noé. Isso é fato. O motivo da maldição é polêmica. Não sejam irresponsáveis twitters rsss”, diz a mensagem postada no perfil do deputado – após a reportagem contatar assessoria de Feliciano, a mensagem foi apagada.

Na sequência, Feliciano afirma: “sobre o continente africano repousa a maldição do paganismo, ocultismo, misérias, doenças oriundas de lá: ebola, Aids. Fome…”

Antes, o pastor evangélico disse que a maldição sobre a África supostamente provém do “1º ato de homossexualismo da história”. “Sendo possivelmente o 1º Ato de homossexualismo da história. A maldição de Noé sobre canaã toca seus descendentes diretos, os africanos”, afirmou também.

Em entrevista por telefone, Feliciano disse que as mensagens foram publicadas por assessores, sem a sua aprovação. O parlamentar afirmou também que não considera as mensagens racistas. “Não foi racista. É uma questão teológica”, disse. “O caso do continente africano é sui generis: quase todas as seitas satânicas, de vodu, são oriundas de lá. Essas doenças, como a Aids, são todas provenientes da África”, acrescentou.

Hoje, quase 20h depois das declarações, o deputado negou ser racista também no Twitter. “Tenho raízes negras como todos os brasileiros. Bem como dos índios e também europeus! Rejeito essas calunias infames! Aqui não seus desalmados”, disse Feliciano.

Marco Feliciano foi eleito deputado federal nas eleições do ano passado, com mais de 211 mil votos, e diz ter 30 mil seguidores no Twitter. “Sou afrodescendente, meu nariz é largo, meu cabelo é crespo. Tenho apoio do líder do movimento dos negros, pastor Albert Silva, de São Paulo”, defendeu-se.

No perfil do deputado no Twitter, há também várias mensagens direcionadas a homossexuais.  O deputado afirma que vários internautas da comunidade gay o perseguem e convoca os “cristãos” a despejarem mensagens nas páginas de seus críticos. Em seguida, o parlamentar listou uma série de usuários do Twitter que supostamente o atacam.

 

Gastos

Chamou-me a atenção os gastos da cota parlamentar, bem acima de muitos outros que verifiquei. Vejamos:

  • Combustíveis e Lubrificantes: R$ 4.147,92
  • Bilhetes aéreos: R$ 969,26
  • Consultorias, pesquisas e trabalhos técnicos: R$ 14.000,00
  • Alimentação: R$ 798,11
  • Hospedagem (exceto no DF): R$ 1.167,30
  • Locação de veículos: R$ 465,00
  • Serviços postais: R$ 221,12
  • Manutenção de escritório de apoio à atividade parlamentar: R$ 625,85
  • Telefonia R$ 408,97

TOTAL: R$ 22.821,53

Os gastos referenciados dizem respeito aos meses de fevereiro e março, pois em janeiro não houve declaração de despesas.

 

Comentários

Os discursos são aos regalos, afinal, ele usa na tribuna parlamentar a mesma bazófia utilizada sobre os altares eclesiásticos (usei palavras difíceis em sua homenagem). Achei extremamente infeliz a declaração sobre a África. Ela é no mínimo dúbia. Qual a autoridade de um ser humano, caído como os demais, para afirmar que paira uma maldição sobre um continente inteiro? Aí eu tenho que aguentar amigos meus me mandando e-mail reclamando dos evangélicos (estes também deveriam aprender a não confundir pessoas com entidades).

Eu discordo de sua atitude em tentar mudar lei para tornar obrigatório o ensino religioso. Vivemos sob solo laico. Deixemos às instituições o cargo de formar a crença individual. Eu quero ver no corrículo dos meus futuros filhos um estudo minuncioso sobre a Reforma Protestante, sobre a história do Cristianismo; mas será que os meus amigos Ateus, Comunistas, também o querem?

Particularmente, tive horrorosas experiências estudando no Colégio Stella Maris, católico e ligado ao Vaticano, quando nas aulas de religião eu era constrangido pelos ensinos romanos – principalmente porque era uma época em que ser evangélico não era tão legal para as pessoas.

Vejamos nos próximos meses se ele se destacará na defesa da moralidade e da família.

 

Fraternos abraços!

 

Olho neles!!!!!

Rômulo de Barros

comentários
  1. Josué Flausino disse:

    Parabéns pelo trabalho Rômulo.

    Não sei por que pastor teima em entrar na política ??!! Brincadeira viu. Acho que ser pastor já é muito trabalhoso (ter que cuidar de tantas ovelhas). Como que ainda encontram tempo para política ???? acho que tem algo errado ai.

    Abraçoo

  2. Duarte Henrique disse:

    Mais uma vez meus elogios Rômulo!

    Aí está. Nunca gostei do Marco Feliciano como pregador, mas como deputado parece que ele está tentando ser coerente. Contudo, temos que entender, doa a quem doer, que uma coisa é o sujeito ir para o congresso e discursar como pastor, outra bem diferente é ir discursar como membro do CN. Até acredito que possamos discutir esses assuntos teologicamente, aos moldes do que propôs o Ronaldo Fonseca, segundo o seu post anterior, mas “teologizar” o CN a força não dá! Além do mais, as declarações dele sobre a África são deveras polêmicas. Eu, particularmente, tenho outra tese para o caso da África: penso que os três últimos séculos de exploração intensa sobre o continente são o grande vilão de sua situação atual. Ora, todo mundo que estuda história, ainda que superficialmente, sabe que ao longo dos últimos séculos o continente africano foi uma macro colônia de alguns paíises Europeus (França, Alemanha, Inglaterra), que só exploravam, mais nada. Até hoje existem violentos conflitos no continente por causa dessa “criação” de Estados com vários povos totalmente antagônicos! Veja, por exemplo, o que está acontecendo com a Costa do Marfim agora. Além do mais, se idolatria fosse realmente óbice ao desenvolvimento, o Japão e a China não seriam as potências mundias que são! Pois um é totalmente taoísta, e outro é DECLARADAMENTE ATEU! Quem defende a teoria de que Cão seja o ancestral fundamental dos “africanos” tem todo direito de fazê-lo. Contudo, me parece que alguém como o Marco Feliciano, ao menos pelo conhecimento teológico que ele demonstrava em suas pregações, não está autorizado a fazer essa afirmação categoricamente. Isso exigiria profundos estudos históricos, arquiológicos e quiça filológicos! Se foi ele ou não, não sei. Mas será que o assessores tem tanta intimidade ao ponto de saber a senha dele no twitter? Se é que esse negócio usa senha, pois, para falar a verdade, nem tenho isso.
    Não vamos confundir as coisas.
    Olho neles!
    Abração!

    PS: Sei que vai entrar alguém argumentando: “Mas olha aí o que aconteceu com o Japão agora?”. Quer dizer que estamos voltando ao perído primitivo da religião, quando “deus” usava a natureza para castigar o mundo? Mas aí alguém vai argumentar: “E o dilúvio?”. Bom, se você acha que o dilúvio é compátivel com a Graça amigo, vá em frente! Mas não se esqueça de sempre sair de casa com uma bóia, pois pecado é pecado em qualquer lugar do mundo, inclusive aqui no Brasil. Ou o único pecado no mundo é a idolatría?

  3. Duarte Henrique disse:

    Quanto ao ensino religioso,

    Tudo bem, concordo que seja obrigatório. Mas daí não posso reclamar se num semestre qualquer se estudar o candomblé, num outro o espiritismo, islamismo etc.

    Cada um no seu quadrado…

    Abração!

  4. Josué Flausino disse:

    Falando em Marco Feliciano, quem ainda lembra do Pastor Pilão ??

    hehehe

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s