Arquivo de junho, 2011

Paz e Graça a todos,

          O Fala Sério Varão TV foi criado com o intuito de levar a cada um de nós, os cristãos, a pensarmos em que evangelho é este em que temos crido, que evangelho é este que os líderes religiosos nos apresentam, será este o evangelho de Cristo ou um outro evangelho? Uma vez que os homens não se omitem ao dizerem mentiras quanto ao evangelho, também não nos omitiremos quanto ao dizer a verdade. “Porque nada podemos contra a verdade, porém, a favor da verdade.” 2 Co 13.8

           É com imensa satisfação que aceito o convite do Dário em estar cooperando com o MP Vida, agradeço também a todos os outros que, para os tais, sou bem-vindo. E sou o Thiago, congrego no Ministério Apostólico De Volta à Palavra e espero que a minha participação no MP seja para a edificação de todos. 

                Segue abaixo um dos vídeos do canal:

O ATOR no vídeo é meu cúmplice, Michael.

Acessem:  WWW.YOUTUBE.COM/FALASERIOVARAOTV, se inscreva, comente, divulgue.

                                WWW.FALASERIOVARAO.BLOGSPOT.COM, siga, comente, divulgue.

Em Cristo,

Thiago N. Fonseca

Anúncios

FIM DA SAGA NAPOLEÔNICA, DOIS ÚLTIMOS EPISÓDIOS!

Saudações amigos napoleônicos!

250 milhões de anos após o lançamento do quadro “Crônicas MP”, que deveria ser quinzenal – só um pequeno detalhe – resolvemos trazer à tona mais uma história. Dessa vez, se tudo der certo, histórias virão com mais frequência. Mas planos são apenas planos, tudo o que existe é a realidade. Mas o que é a realidade mesmo?

(mais…)

Saudações amigos! Espero que estejam bem.

Se você é sensível ou “puritano”, não leia o texto a seguir. É só um conselho. Se for fariseu, também não, pois certamente criticará meu cristianismo.

Quem me conhece sabe que sempre fui uma pessoa dialética e muito tolerante. Contudo, devo confessar que nos últimos dias essa questão em torno da decisão do Supremo sobre união estável entre casais homossexuais, a questão da alegada “homofobia”, do apoio descarado da mídia a essa causa etc, conseguiu me tornar uma pessoa intolerante. Pois é, ao menos comigo, esses gays deram um “tiro no pé”.

Como disse, sempre fui tolerante, inclusive em relação à questão dos homossexuais. Todavia, o crescente descaramento e a constante “torração de paciência” que esse pessoal vem infligindo sobre a sociedade conseguiram me transformar num cara intolerante. Como sempre defendi, uma coisa é o cara possuir sua homossexualidade, mas admitir que isso não seja o ideal, e nem exigir que todo mundo aceite isso como normal. Esses sempre merecerão meu respeito. Entretanto, outra coisa bem diferente é o sujeito tentar inculcar isso na cabeça das pessoas a todo custo, com ameaças e tudo mais, inclusive com aprovação de “leis da mordaça” e de “kit gay” nas escolas. Aí não dá.

Pois bem, a partir de agora esse grupo encontrará em mim um ser truculento e intolerante! Vocês têm que entender que o homossexualismo não é normal! Quer me chamar de fundamentalista? I don´t give a damn! Quem diz isso é a própria natureza, não sou eu! Me diga, pode nascer alguma coisa de uma relação homossexual? Então pronto! A própria natureza impõe sua sanção! E tem mais! A relação sexual entre dois homens sequer pode ser considerada relação sexual, pois o ânus não é órgão sexual! Ou seja, homossexuais sequer tem relação sexual! Mesmo as lésbicas precisam sempre de apetrechos sexuais ou mesmo do dedo uma da outra para obter prazer, pois seus corpos não se bastam!  (mais…)

Outro dia conversava com alguém no meu serviço acerca de um aspecto da concupiscência humana. Assim como eu, essa pessoa é cristã. O que ela defendia, resumidamente, é que o cristão após sua conversão vai deixando de pecar cada vez mais, até que em certo ponto ele não mais pecará, ou então isso se tornará algo extremamente acidental em sua vida. Me lembrou muito a doutrina da “perfeição cristã”, defendida por John Wesley, conforme já li.

Espero que não me tomem por libertino. O Senhor guarde meu espírito.

Disse a ela acreditar que as coisas não funcionavam assim. Por dois motivos básicos. Primeiro, se fosse possível atingir esse estágio espiritual, Cristo sequer precisaria ter morrido por mim, pois eu mesmo poderia ser salvo por meio de minhas obras, não precisaria de sua graça.

O segundo motivo que me leva a crer que a vida cristã não funciona assim é o fato de que quando olho para dentro de mim sempre encontro aquele velho dilema paulino: “O bem que quero não faço, mas o mau que não quero, esse faço”. “Você está generalizando sua experiência particular!”, pode alguém dizer. Então olhe para si mesmo e ao final diga se não é assim…

Penso que a premissa da qual minha colega de trabalho estava partindo é equivocada, muito embora seja comum entre muitos cristãos, qual seja, a de que quando somos alcançados pela graça divina deixamos de ser pecadores. Na verdade, mesmo após a conversão continuaremos a ser sempre, como dizia Lutero, “santos e pecadores”. (mais…)