Posts com Tag ‘Amor’

O Dragão de Komodo

Publicado: 12/11/2011 por Duarte Henrique em Devocionais, Reflexão
Tags:, , ,

Saudações amigos.

Um tempo atrás me ocorreu um pensamento interessante. Já penso até em escrever um romance com o título desse post.

Acredito que a maioria de nós vá concordar com o fato de que a conquista do coração de alguém seja uma das mais importantes tarefas levadas à cabo em nossa existência. Aliás, podemos mesmo questionar até que ponto podemos falar em existência sem que alguém a compartilhe conosco.

Pesando sobre isso, cheguei à conclusão de que poderíamos classificar o poder de sedução dos homens, e de algumas mulheres excepcionalmente, de acordo com uma metáfora do mundo animal. Desse modo, os homens poderiam ser classificados, em relação à letalidade de seu poder existencial de conquista, em Formigas, Escorpiões, Najas e Dragões de Komodo.

Os Formigas são aqueles homens cuja letalidade do ataque é quase irrisória. A mordida de uma formiga, no muito, irrita mais do machuca. Um tapa e pronto, lá está o inseto morto. Os homens formiga geralmente são superficiais, e suas investidas ordinárias e triviais. São a maioria.

Os Escorpiões, por sua vez, são mais incisivos. Suas investidas são mais técnicas, e a picada, se não é letal, ao menos provoca uma dor mais intensa, mais difícil de ser esquecida. Contudo, não é mortal. Pode ser superada. As investidas aqui são mais incomuns, menos clichês, muito embora ainda sigam certa padronização. Nesse contexto, não raro, fatores tais como condição econômica ou status sociais são usados como arma de ataque. Representam um percentual menor na população masculina, e mais ainda na feminina.

Os Najas são um tipo muito raro. Combinam estética e conteúdo de forma absolutamente letal. A morte é quase instantânea. São homens que, além de sua beleza, possuem conteúdo. É impossível resistir ao ataque. O veneno realmente mata em poucos segundos. O agente consegue criar uma ambiente e áurea mortais. A vítima mal percebe que o bote está sendo preparado. Esse tipo de sujeito tem seu estilo próprio, único. Seu modelo de ação é seu apanágio, algo exclusivo. Aqui não existe padronização, senão a dos efeitos, sempre letais em todos os casos. Nunca conheci uma representante feminina dessa categoria, pois as mulheres ou são muito bonitas, ou muito inteligentes, nunca as duas coisas.

Por fim, existem os Dragões de Komodo, os mais raros e interessantes, penso eu. Aqui, como no caso dos Najas, o ataque também é mortal. A diferença é que a vítima acredita sair ilesa, pensa que conseguirá resistir. Ledo engano. Algumas pouquíssimas mulheres são assim. (mais…)

Anúncios

Amor e Paixão…

Publicado: 12/04/2011 por Duarte Henrique em Devocionais, Reflexão
Tags:, ,

 

Saudações amigos! Espero que todos estejam bem!

Ontem, enquanto caminhávamos no Taguaparque, eu & Cris discutíamos sobre as diferenças ontológicas entre a paixão e o amor. É uma discussão antiga e que freqüentemente é deturpada pelo senso comum. Creio que seja uma discussão salutar, por isso compartilho agora algumas coisas sobre o assunto. Para reflexão.

Inicialmente convém destacar que comentarei a paixão apenas pelo seu prisma mais comumente utilizado, isto é, o prisma de sua aplicação aos relacionamentos entre homem e mulher. E aqui reside o primeiro equívoco do senso comum: acreditar que a paixão, assim como o amor, seja algo existente unicamente em relacionamentos entre homens e mulheres. Na verdade, a paixão abrange muitas outras áreas de nossas vidas. Quando Paulo, por exemplo, fala sobre paixões na bíblia geralmente ele está adotando o sentido filosófico do termo, que pode ser traduzido como a inclinação dos sentidos (olfato, visão, tato, paladar e audição) ou da “carne” para a matéria. Não é nesse sentido que vou falar, ao menos diretamente, muito embora esse seja o aspecto mais interessante do assunto.

Bom, primeiramente cumpre destacar que, ao contrário do que muitos ascetas pregam, não vejo oposição entre amor e paixão. Mas são coisas bastante distintas. A paixão é um sentimento do corpo, geralmente é muito intensa e irracional. Por ser um sentimento da matéria – corpo – não dura para sempre. O amor é um sentimento do espírito, geralmente é moderado e racional. Por ser um sentimento espiritual é eterno. O amor não acaba. Por isso a expressão vulgar “fazer amor”, quando referida ao ato sexual é um equívoco, pois o ato sexual é algo passional (paixão), e não algo ligado ao amor! Muito embora pessoas que se amem também tenham relação sexual, óbvio!

Pois bem, qual é a relevância prática disso? Várias. Vejamos algumas. (mais…)

Na Contramão Da Igreja

Publicado: 31/01/2011 por Fabrício Moreira em Devocionais, Reflexão
Tags:, , ,

Olá pessoal! Quanto tempo..

Bom, antigamente eu falava que queria ir na contramão do mundo, hoje quero ir na contramão da igreja também. Quando digo igreja, me refiro ao que é ensinado, o que é visto e aprendido no meio cristão como um todo. O evagenlho foi deturpado. Prestamos atenção em coisas que pra Deus não é nada, e esquecemos o mais importante. ” e se há algum outro mandamento, tudo nesta palavra se resume: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo.” Rm 13.9 (mais…)

OpaH moçada! Paz e luz pra todo mundo.

Gosto particularmente do texto de hoje! A muito que leio e releio quase todos os dias! É um bálsamo para nossas almas..

Abraços calorosos! (mais…)

OpaH moçada! Paz e luz pra todo mundo!

Bom com a prévia autorização de meus chefes Waldson e Dário, gostaria de começar um novo quadro no nosso tão badalado blog. É bem simples e sem polêmica. Todos os dias (quando possível) gostaria de deixar um breve texto de ânimo, ou até mesmo de reflexão. Às vezes será apenas uma frase. Os textos/frase/artigos não são meus, são de autores que gosto e alguns retirados de livros que li. Espero que gostem! (mais…)